Baixe aqui o PDF com as oração do
Ofício de Trevas

Ofício de Trevas

Ant. de entrada:

Da hora sexta à hora nona a terra toda escureceu.

S. Vinde ó Deus em meu auxílio

R. Socorrei-me sem demora.

 

 

 

 

S: Deus não poupou seu próprio filho, mas o entregou por todos nós…

 

1º SALMO 50 (51)

SALMISTA VALTER

 

Ant.

Afastes de mim meus amigos,

fui traído e não pude esquivar-me.

 

 –  Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! *

     Na imensidão de vosso amor, purificai-me!

–   Lavai-me todo inteiro do pecado, *

     e apagai completamente a minha culpa

 

–   Eu reconheço toda a minha iniqüidade, *

     o meu pecado está sempre à minha frente.

–   Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei, *

     e pratiquei o que é mau a vossos olhos!

 

–   Mostrais assim quanto sois justo na sentença, *

     e quanto é reto o julgamento que fazeis.

–   Vede, Senhor, que eu nasci na iniquidade *

     e pecador já minha mãe me concebeu.

 

–   Mas vós amais os corações que são sinceros, *

     na intimidade me ensinais sabedoria.

–   Aspergi-me e serei puro do pecado, *

     e mais branco do que a neve ficarei

 

–   Fazei-me ouvir cantos de festa e de alegria, *

     e exultaram estes meus ossos que esmagastes.

–   Desviais o vosso olhar dos meus pecados  *

     e apagais todas as minhas transgressões!

 

–   Criai em mim um coração que seja puro, *

     dai-me de novo um espírito decidido.

–   Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, *

     nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!

 

–   Dai-me de novo a alegria de ser salvo *

     e confirmai-me com espírito generoso!

–   Ensinarei vosso caminho aos pecadores, *

     e para vós se voltarão os transviados.

 

–   Da morte como pena, libertai-me, *

     e minha língua exaltará vossa justiça!

–   Abri meus lábios ó Senhor para cantar, *

     e minha boca anunciará vosso louvor!

 

 

Ant. Afastes de mim meus amigos,

        fui traído e não pude esquivar-me.

 

 

PRIMEIRO SERMÃO

Leitura do livro do profeta Isaias –  Is 42, 1-7

 

1 ‘Eis o meu servo – eu o recebo; eis o meu eleito – nele se compraz minh’alma; pus meu espírito sobre ele, ele promoverá o julgamento das nações.

 

2 Ele não clama nem levanta a voz, nem se faz ouvir pelas ruas.

 

3 Não quebra uma cana rachada nem apaga um pavio que ainda fumega; mas promoverá o julgamento para obter a verdade.

 

4 Não esmorecerá nem se deixará abater, enquanto não estabelecer a justiça na terra;

os países distantes esperam seus ensinamentos.’

 

5 Isto diz o Senhor Deus, que criou o céu e o estendeu, firmou a terra e tudo que dela germina,

que dá a respiração aos seus habitantes e o sopro da vida ao que nela se move:

 

6 ‘Eu, o Senhor, te chamei para a justiça e te tomei pela mão; eu te formei e te constituí como o centro de aliança do povo, luz das nações,

 

7 para abrires os olhos dos cegos, tirar os cativos da prisão, livrar do cárcere os que vivem nas trevas.

 

A: Palavra do Senhor!

R: Graças a Deus

 

 

 

 

S: Muito sofrer é a parte dos ímpios; mas quem confia em Deus, o Senhor, é envolvido de graça e perdão.

 

2º Salmo 31 (32)

SALMISTA LILA

 

Ant. Perseguiram-me os estranhos,

        E os violentos procuraram tirar-me a vida.

 

–   Feliz o homem que foi perdoado *

     e cuja falta já foi encoberta!

=   Feliz o homem a quem o Senhor †

–   não olha mais como sendo culpado, *

     e em cuja alma não há falsidade!

 

=   Enquanto eu silenciei meu pecado, †

–   dentro em mim definhavam meus ossos *

     e eu gemia por dias inteiros,

 

–   Porque sentia pesar sobre mim *

     a vossa mão, ó Senhor, noite e dia;

–   e minhas forças estavam fugindo, *

     tal como a seiva da planta no estio

 

–   Eu confessei, afinal, meu pecado, *

     e minha falta vos fiz conhecer.

–   Disse: “Eu irei confessar meu pecado!” *

     E perdoaste, Senhor, minha falta.

 

–   Todo fiel pode, assim, invocar-vos, *

     durante o tempo da angústia e aflição,

–   porque, ainda que irrompam as águas, *

     não poderão atingi-lo jamais.

 

–   Sois para mim proteção e refúgio; *

     na minha angústia me haveis de salvar,

–   e envolveis minha alma no gozo *

     da salvação que me vem só de vós.

 

=   “Vou instruir-te e te dar um conselho; †

–   vou te dar um conselho a seguir, *

     e sobre ti pousarei os meus olhos:

 

=   Não queiras ser semelhante ao cavalo, †

–   ou ao jumento, animais sem razão; *

     eles precisam de freio ou cabresto

–   para domar e amansar seus impulsos, *

     pois de outro modo não chegam a ti”.

 

=   Muito sofrer é a parte dos ímpios; †

–   mas quem confia em Deus, o Senhor, *

     é envolvido de graça e perdão.

 

=   Regozijai-vos, ó justos, em Deus †

–   e no Senhor exultai de alegria! *

     Corações retos, cantai jubilosos!

 

Ant. Perseguiram-me os estranhos,

        E os violentos procuraram tirar-me a vida.

 

 

SEGUNDO SERMÃO

Leitura do livro do profeta Isaias 49, 1-6

 

1 Nações marinhas, ouvi-me, povos distantes, prestai atenção: o Senhor chamou-me antes de eu nascer, desde o ventre de minha mãe ele tinha na mente o meu nome;

 

2 fez de minha palavra uma espada afiada, protegeu-me à sombra de sua mão e fez de mim uma flecha aguçada, escondida em sua aljava,

 

3 e disse-me: ‘Tu és o meu Servo, Israel, em quem serei glorificado’.

 

4 E eu disse: ‘Trabalhei em vão, gastei minhas forças sem fruto, inutilmente; entretanto o Senhor me fará justiça e o meu Deus me dará recompensa’.

 

5 E agora diz-me o Senhor – ele que me preparou desde o nascimento para ser seu Servo – que eu recupere Jacó para ele e faça Israel unir-se a ele; aos olhos do Senhor esta é a minha glória.

 

6 Disse ele: ‘Não basta seres meu Servo para restaurar as tribos de Jacó e reconduzir os remanescentes de Israel: eu te farei luz das nações, para que minha salvação chegue até aos confins da terra’.

 

A: Palavra do Senhor!

R: Graças a Deus

 

 

 

 

S: Ouvi, Senhor, e escutai minha oração, e chegue até vós o meu clamor!

 

3º Salmo 101 (102)

SALMISTA VÍTOR

 

Ant. Armarão laços à vida dos justos,

        e condenarão o sangue inocente.

 

–   Ouvi, Senhor, e escutai minha oração, *

     e chegue até vós o meu clamor!

–   De mim não oculteis a vossa face *

     no dia em que estou angustiado

–   Inclinai o vosso ouvido para mim, *

     ao invocar-vos atendei-me sem demora!

 

–   Como fumaça se desfazem os meus dias, *

     estão queimando como brasas os meus ossos.

–   Meu coração se tornou seco igual à erva, *

     até esqueço de tomar meus alimentos.

–   À força de gemer e lamentar, *

     tornei-me tão somente pele e osso.

 

–   Eu pareço um pelicano no deserto, *

     sou igual a uma coruja entre ruínas.

–   Perdi o sono e passo a noite a suspirar *

     como a ave solitário no telhado.

–   Meus inimigos me insultam todo o dia, *

     enfurecidos lançam pragas contra mim.

 

–   É cinza em vez de pão minha comida, *

     minha bebida eu misturo com as lagrimas.

–   Em vossa indignação, em vossa ira *

     me exaltastes, mas depois m rejeitastes;

–   os meus dias como a sombra vão passando, *

     e aos poucos vão murchando como a erva.

 

Ant. Armarão laços à vida dos justos, e condenarão o sangue inocente.

 

 

TERCEIRO SERMÃO

Leitura da Carta aos Hebreus 9, 11-28

 

11 Quando Cristo veio como sumo sacerdote dos benefícios agora presentes, ele adentrou o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito pelo homem, isto é, não pertencente a esta criação.

 

12 Não por meio de sangue de bodes e novilhos, mas pelo seu próprio sangue, ele entrou no Lugar Santíssimo, de uma vez por todas, e obteve eterna redenção.

 

13 Ora, se o sangue de bodes e touros e as cinzas de uma novilha espalhadas sobre os que estão cerimonialmente impuros os santificam, de forma que se tornam exteriormente puros,

 

14 quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu de forma imaculada a Deus, purificará a nossa consciência de atos que levam à morte, para que sirvamos ao Deus vivo!

 

15 Por essa razão, Cristo é o mediador de uma nova aliança para que os que são chamados recebam a promessa da herança eterna, visto que ele morreu como resgate pelas transgressões cometidas sob a primeira aliança.

 

16 No caso de um testamento, é necessário que se comprove a morte daquele que o fez;

 

17 pois um testamento só é validado no caso de morte, uma vez que nunca vigora enquanto está vivo quem o fez.

 

18 Por isso, nem a primeira aliança foi sancionada sem sangue.

 

19 Quando Moisés terminou de proclamar todos os mandamentos da Lei a todo o povo, levou sangue de novilhos e de bodes, e também água, lã vermelha e ramos de hissopo, e aspergiu o próprio livro e todo o povo, dizendo:

 

20 “Este é o sangue da aliança que Deus ordenou que vocês obedeçam”.

 

21 Da mesma forma, aspergiu com o sangue o tabernáculo e todos os utensílios das suas cerimônias.

 

22 De fato, segundo a Lei, quase todas as coisas são purificadas com sangue, e sem derramamento de sangue não há perdão.

 

23 Portanto, era necessário que as cópias das coisas que estão nos céus fossem purificadas com esses sacrifícios, mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios superiores.

 

24 Pois Cristo não entrou em santuário feito por homens, uma simples representação do verdadeiro; ele entrou nos céus, para agora se apresentar diante de Deus em nosso favor;

 

25 não, porém, para se oferecer repetidas vezes, à semelhança do sumo sacerdote que entra no Lugar Santíssimo todos os anos, com sangue alheio.

 

26 Se assim fosse, Cristo precisaria sofrer muitas vezes, desde o começo do mundo. Mas agora ele apareceu uma vez por todas no fim dos tempos, para aniquilar o pecado mediante o sacrifício de si mesmo.

 

27 Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo,

 

28 assim também Cristo foi oferecido em sacrifício uma única vez, para tirar os pecados de muitos; e aparecerá segunda vez, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos que o aguardam.

 

A: Palavra do Senhor!

R: Graças a Deus

 

 

 

 

S: Ele vem libertar a Israel de toda sua culpa.

 

4º Salmo 129 (130)

SALMISTA MICHELLE

 

Ant. Deus não poupou seu próprio Filho,

        antes por amor a todos nós, entregou à morte.

 

–   Das profundezas eu clamo a vós, Senhor, *

     escutai a minha voz!

–   Vossos ouvidos estejam bem atentos *

     ao clamor da minha prece!

 

–   Se levardes em conta nossas faltas, *

     quem haverá de subsistir?

–   Mas em vós se encontra o perdão, *

     eu vos temo e em vós espero.

 

–   No Senhor ponho a minha esperança, *

     espero em sua palavra.

–   A minh’alma espera no Senhor *

     mais que o vigia pela a aurora.

 

–   Espere Israel pelo Senhor *

     mais que o vigia pela aurora!

–   Pois no Senhor se encontra toda graça *

     e copiosa redenção.

 

–   Ele vem libertar a Israel *

     de toda sua culpa.

 

Ant. Deus não poupou seu próprio Filho,

        antes por amor a todos nós, entregou à morte.

 

 

QUARTO SERMÃO

Leitura da Carta aos Hebreus 13, 12-16

 

12 Assim, Jesus também sofreu fora das portas da cidade, para santificar o povo por meio do seu próprio sangue.

 

13Portanto, saiamos até ele, fora do acampamento, suportando a desonra que ele suportou.

 

14 Pois não temos aqui nenhuma cidade permanente, mas buscamos a que há de vir.

 

15 Por meio de Jesus, portanto, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, que é fruto de lábios que confessam o seu nome.

 

16 Não se esqueçam de fazer o bem e de repartir com os outros o que vocês têm, pois de tais sacrifícios Deus se agrada.

 

 

A: Palavra do Senhor!

R: Graças a Deus

 

 

 

 

S: O Senhor escutou meus pedidos; o Senhor acolheu minha prece! Apavorem-se os meus inimigos; com vergonha, se afastem depressa!

 

5º Salmo 6

SALMISTA JP

 

Ant. Eles repartem entre si as minhas vestes

        e sorteiam entre si a minha túnica.

 

–   Repreendei-me, Senhor, mas sem ira; *

     corrigi-me, mas não com furor!

=   Piedade de mim: estou enfermo †

     e curai o meu corpo doente!

     Minha alma está muito abatida!

 

=   Até quando, Senhor, até quando…? †

     Oh! Voltai-vos a mim e poupai-me, *

     E salvai-me por vossa bondade!

–   Porque, morto, ninguém vos recorda; *

     pode alguém vos louvar no sepulcro?

 

=   Esgotei-me de tanto gemer, †

     banho o leito em meu pranto de noite, *

     minha cama inundei com as lagrimas!

–   Tenho os olhos turvados de mágoa, *

     fiquei velho de tanto sofrer!

 

–   Afastai-vos de mim malfeitores, *

     porque Deus escutou meus soluços!

–   O Senhor escutou meus pedidos; *

     o Senhor acolheu minha prece!

–   Apavorem-se os meus inimigos; *

     com vergonha, se afastem depressa!

 

Ant. Eles repartem entre si as minhas vestes

        e sorteiam entre si a minha túnica.

 

 

QUINTO SERMÃO

Leitura do livro do Profeta Isaias – Is 50, 4-9a

 

4 O Senhor Deus deu-me língua adestrada, para que eu saiba dizer palavras de conforto à pessoa abatida; ele me desperta cada manhã e me excita o ouvido, para prestar atenção como um discípulo.

 

5 O Senhor abriu-me os ouvidos; não lhe resisti nem voltei atrás.

 

6 Ofereci as costas para me baterem e as faces para me arrancarem a barba: não desviei o rosto

de bofetões e cusparadas.

 

7 Mas o Senhor Deus é meu Auxiliador, por isso não me deixei abater o ânimo, conservei o rosto impassível como pedra, porque sei que não sairei humilhado.

 

8 A meu lado está quem me justifica; alguém me fará objeções? Vejamos. Quem é meu adversário? Aproxime-se.

 

9a Sim, o Senhor Deus é meu Auxiliador; quem é que me vai condenar?

A: Palavra do Senhor!

R: Graças a Deus

 

 

 

 

S: Os reis de toda terra se reúnem e conspiram os governos todos juntos contra o Deus onipotente e o seu ungido

 

6º Salmo 37 (38)

SALMISTA CYNTHIA

 

Ant. Livrai-me Senhor, do que me atacam,

        porque se tornaram Senhor da minha vida.

 

–   Cheiram mal e supuram minhas chagas *

     por motivo de minhas loucuras

–   Ando triste, abatido, encurvado, *

     todo o dia afogado em tristeza.

 

–   As entranhas me ardem de febre, *

     já não há parte sã em meu corpo.

–   Meu coração grita e geme de dor, *

     esmagado e humilhado demais.

 

–   Conheceis meu desejo, Senhor, *

     meus gemidos vos são manifestos;

=   bate rápido o meu coração, †

–   Minhas forças estão me deixando, *

     e sem luz os meus olhos se apagam.

 

=   Companheiros e amigos se afastam, †

–   Fogem longe das minhas feridas; *

     meus parentes mantêm-se à distância.

 

–   Armam laços os meus inimigos, *

     que procuram tirar minha vida;

–   os que buscam matar-me ameaçam *

     e maquinam traições todo dia.

 

Ant. Livrai-me Senhor, do que me atacam,

        porque se tornaram Senhor da minha vida.

 

 

SEXTO SERMÃO

Leitura da 1ª carta de São Pedro 2, 21b-24

 

21 Ora, é para isso que fostes chamados. Também Cristo padeceu por vós, deixando-vos exemplo para que sigais os seus passos.

 

22 Ele não cometeu pecado, nem se achou falsidade em sua boca (Is 53,9).

 

23 Ele, ultrajado, não retribuía com idêntico ultraje; ele, maltratado, não proferia ameaças, mas entregava-se àquele que julga com justiça.

 

24 Carregou os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro para que, mortos aos nossos pecados, vivamos para a justiça. Por fim, por suas chagas fomos curados (Is 53,5).

 

A: Palavra do Senhor!

R: Graças a Deus

 

 

 

 

S: Não fiqueis longe de mim, porque padeço. Ficai perto, pois não há quem me socorra!

 

7º Salmo 21 (22)

SALMISTA RIZA

 

Ant.

Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes? †

 

–   Meu Deus, meu Deus, porque me abandonastes? *

     †E ficais longe de meu grito e minha prece?

–   Riem de mim todos aqueles que me vêem, *

     torcem os lábios e sacodem a cabeça:

–   “Ao Senhor se confiou, ele o liberte *

     e agora o salve, se é verdade que ele o ama!”

 

–   Não fiqueis longe de mim, porque padeço; *

     ficai perto, pois não há quem me socorra!

–   Escancararam contra mim as suas bocas. *

     como leões devoradores a rugir.

 

–   Eu me sinto como a água derramada, *

     e meus ossos estão todos deslocados;

–   como a cera se tornou meu coração, *

     e dentro de meu peito se derrete.

 

–   Cães numerosos me rodeiam furiosos, *

     e por um bando de malvados fui cercado.

–   Transpassaram minhas mãos e os meus pés *

     e eu posso contar todos os meus ossos.

–   Vós, porém, ó meu Senhor, não fiqueis longe, *

     ó minha força, vinde logo em meu socorro!

 

–   Da espada libertai a minha alma, *

     e das garras desses cães, a minha vida!

–   Arrancai-me da goela do leão, *

     E a mim tão pobre, desses touros que me atacam!

 

Ant. Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?

 

 

SÉTIMO SERMÃO

Leitura da carta aos Hebreus 4, 1-13

 

1 Visto que nos foi deixada a promessa de entrarmos no descanso de Deus, que nenhum de vocês pense que falhou.

 

2 Pois as boas-novas foram pregadas também a nós, tanto quanto a eles; mas a mensagem que eles ouviram de nada lhes valeu, pois não foi acompanhada de fé por aqueles que a ouviram.

 

3 Pois nós, os que cremos, é que entramos naquele descanso, conforme Deus disse: “Assim jurei na minha ira: Jamais entrarão no meu descanso”; embora as suas obras estivessem concluídas desde a criação do mundo.

 

4 Pois em certo lugar ele falou sobre o sétimo dia, nestas palavras: “No sétimo dia Deus descansou de toda obra que realizara”.

 

5 E de novo, na passagem citada há pouco, diz: “Jamais entrarão no meu descanso”.

 

6 Portanto, restam entrar alguns naquele descanso, e aqueles a quem anteriormente as boas-novas foram pregadas não entraram, por causa da desobediência.

 

7 Por isso Deus estabelece outra vez um determinado dia, chamando-o “hoje”, ao declarar muito tempo depois, por meio de Davi, de acordo com o que fora dito antes: “Se hoje vocês ouvirem a sua voz, não endureçam o coração”.

 

8 Porque, se Josué lhes tivesse dado descanso, Deus não teria falado posteriormente a respeito de outro dia.

 

9 Assim, ainda resta um descanso sabático para o povo de Deus;

 

10 pois todo aquele que entra no descanso de Deus também descansa das suas obras, como Deus descansou das suas.

 

11 Portanto, esforcemo-nos por entrar nesse descanso, para que ninguém venha a cair, seguindo aquele exemplo de desobediência.

 

12 Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e as intenções do coração.

 

13 Nada, em toda a criação, está oculto aos olhos de Deus. Tudo está descoberto e exposto diante dos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.

 

A: Palavra do Senhor!

R: Graças a Deus

 

 

 

Responsório

 

S: O que está acontecendo hoje? Um grande silêncio reina sobre a terra. Um grande silêncio e uma grande solidão. Um grande silêncio porque o Rei está dormindo, a terra estremeceu e ficou silenciosa. Porque o Deus feito homem adormeceu e acordou os que dormiam há séculos.

 

S. Colocaram-me nas trevas,

R. Como mortos desde séculos.

 

Oremos:

Ó Deus, luz verdadeira, fonte e princípio da luz eterna, fazei brilhar no coração de vossos fiéis a luz que não se extingue, para que, iluminados cheguemos ao esplendor de vossa glória.

 

Por Cristo, Nosso Senhor. Amém.

 

R. Bendigamos ao Senhor. Demos graças a Deus.